quinta-feira, 7 de março de 2013

Elefantes enfrentam "a mais grave crise de conservação"


Os elefantes africanos enfrentam "a mais grave crise de conservação", desde a proibição do comércio internacional de marfim, em 1989, alerta um relatório hoje apresentado na Tailândia, que salienta ter triplicado o tráfico de presas nos últimos 15 anos.

"Uma tendência pronunciada do aumento da caça furtiva de elefantes em África e do comércio ilegal de marfim é particularmente evidente desde 2007", avança o relatório redigido por várias organizações especializadas, entre as quais a Convenção do Comércio Internacional de Espécies Protegidas (CITES, sigla da designação inglesa), reunidas em Banguecoque.
"Está claro que os elefantes de África enfrentam a mais grave crise de conservação" desde que a espécie passou a constar na lista da CITES, que proíbe o comércio internacional de espécies, com problemas de conservação.
Algumas populações locais de elefantes estão ameaçadas de extinção, alerta o relatório, que acrescenta ter o comércio ilegal de marfim duplicado desde 2007, e "mais do que triplicado", desde 1998.
"É trabalho do crime organizado", defendeu Tom Milliken, especialista da organização não-governamental Traffic, que gere o sistema de informação sobre comércio dos elefantes da CITES.
"A menos que a CITES aborde seriamente o problema, não ganharemos" esta batalha, insistiu o especialista, pedindo "sanções" contra os países acusados de passividade, em relação ao tráfico.
    
FONTE: ON CIÊNCIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário