quarta-feira, 26 de junho de 2013

Estala a polêmica na Federação guineense

Secretário-geral Alberto Dias foi o mais recente elemento a sair do organismo federativo.

Os membros da direção da Federação de futebol da Guiné-Bissau estão envolvidos numa acesa polêmica que já motivou demissões de vários elementos do Comité Executivo, o último o secretário-geral, Alberto Dias.

De acordo com uma fonte da Federação, Alberto Dias foi ontem demitido do cargo por ordens expressas do presidente do organismo, Manuel Nascimento Lopes, na sequência de uma auditoria recentemente realizada, que teria mostrado «várias irregularidades» financeiras.
A fonte não adiantou os valores em causa, mas precisou que o presidente da Federação prometeu entregar os resultados dos inquéritos ao Ministério Público. Interinamente, o lugar de secretário-geral da Federação de Futebol guineense será ocupado por Virgínia Mendes da Cruz.
Já antes da suspensão do secretário-geral, outros elementos do Comité Executivo tinham sido exonerados ou «batido com a porta», como os casos de Alfredo Gomes, segundo vice-presidente da Federação, Inum Embaló, responsável pelo futebol feminino, e Mutaro Bari, responsável financeiro.
Tirando Inum Embaló, que foi suspenso de funções depois de levantar várias suspeições sobre a forma como o presidente da Federação está a conduzir o organismo, Alfredo Gomes (atual ministro da Educação, Juventude, Cultura e Desporto) e Mutaro Bari saíram por discordarem da forma como Manuel Nascimento Lopes dirige a Federação.
Os clubes de futebol da Guiné-Bissau estão a exigir a realização de um congresso extraordinário para uma análise profunda à gestão da atual direção da Federação, eleita há pouco mais que um ano.

FONTE: NOVAS DA GUINÉ BISSAU

Nenhum comentário:

Postar um comentário