domingo, 8 de setembro de 2013

Brasil exporta programa de merenda escolar para a África

Em parceria com a FAO, modelo de alimentação de jovens está presente em 11 países e promove agricultura familiar de crianças em todo o Brasil.

Programa já beneficiou mais de 45 milhões de crianças brasileiras. Foto: Governo do Espírito Santo/Divulgação
Programa já beneficiou mais de 45 milhõesFoto: Governo do Espírito Santo/Divulgação
O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) brasileiro servirá de base para a melhoria de programas locais de merenda escolar de países da África e da América Latina. Presente em 11 países, inclusive africanos como Cabo Verde e Moçambique, o modelo será expandido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Com mais de 19 milhões de pessoas beneficiadas, a cooperação que começou em 2009 em cinco países, terá financiamento de quase US$ 2 milhões para a implantação no continente africano.

A coordenadora do projeto Fortalecimento dos Programas de Alimentação Escolar da FAO Brasil, Najila Veloso, explica que o objetivo não é iniciar um programa, e sim ajudar os já existentes. “Queremos fortalecer os programas de cada país a partir da realidade deles. Levamos os desafios e oportunidades que já conhecemos no Brasil, tudo dentro do respeito e da soberania de cada um”, explica.

No Brasil, o PNAE serve 130 milhões de refeições e apoia 45 milhões de alunos em escolas e creches, todos os dias. De acordo com a coordenadora do programa, Albaneide Peixinho, a agricultura familiar é parte essencial, contribuindo com 30% dos alimentos preparados nos centros de ensino.

Maioria dos agricultores é analfabeta e, segundo Albaneide, todos passam a frequentar o ambiente escolar e a enxergar a escola como um espaço público. “Com eles, os estudantes conhecem sobre os alimentos. Os que moram nas cidades aprendem que um frango não vem do supermercado, um ovo não vem da indústria. E que existem pessoas por trás disso”, explica. Dos R$ 3,5 bilhões de orçamento do programa, R$ 1,05 bilhão é para a compra direta de produtos da agricultura familiar.

FONTE: http://brazilafrica.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário