domingo, 15 de setembro de 2013

O acesso à internet o desafio aos países africanos


Acesso à Internet foi declarado oficialmente um direito pela ONU pqla primeira vez em 2011 , oito anos após a Cúpula Mundial da Sociedade da Informação em 2003.

O argumento de que a África deva se concentrar em questões mais "importantes" é problemático por algumas razões. Em primeiro lugar, as mudanças acontecem ao mesmo tempo, é por isso que os estados têm diferentes ministérios dedicados ao transporte, estradas e rodovias, saneamento, mulheres e assuntos infantis, saúde e educação.

Em segundo lugar, embora existam níveis desproporcionais de pobreza em todo o continente, a África não é apenas caracterizada pela pobreza. A classe trabalhadora, a classe média e a elite estão todas as partes da sociedade, e é irrealista pedir que todo mundo espere até que os hospitais sejam construídos em todos os cantos de seus respectivos países antes de serem capazes de acessar a internet, que tem um custo e funções razoável a uma velocidade razoável.

Em terceiro lugar, o próprio acesso à Internet é uma ferramenta educacional que pode melhorar o desenvolvimento de-crianças que aprendem a usar a internet na escola, por exemplo, têm muito mais oportunidades do que aquelas que não o fazem. Em um continente onde os professores são muitas vezes em greve, acesso à Internet seria uma vantagem para os alunos que necessitam de informações.

Uganda, Tanzânia, Ruanda, estão experimentando novas dinâmicas, e investindo no uso da internet.

FONTE: http://allafrica.com/view/group/main/main/id/00026381.html?aa_source=ri-photo

Nenhum comentário:

Postar um comentário