sábado, 12 de outubro de 2013

A água é um bem raro em Cabo Verde


O Primeiro-ministro (PM) de Cabo Verde, José Maria Neves, pediu, aos seus compatriotas para fazer uma gestão criteriosa para uma maior poupança da água no consumo doméstico, nas empresas, nas instituições e na agricultura, soube a PANA de fonte oficial.

"A água é um bem raro em Cabo Verde e é fundamental que todos nós façamos uma gestão criteriosa da água para o consumo, poupando-a e gerindo-a com maior eficiência", disse José Maria Neves na cerimónia de apresentação pública do Fundo da Água e Saneamento (FASA).

O primeiro-ministro cabo-verdiano recordou que, para melhorar globalmente o desempenho do país no domínio da água, o Governo já procedeu à criação de novas instituições, como a Agência Nacional da Água e Saneamento e o Conselho Nacional da Água e Saneamento, além de ter aprovado novos diplomas sobre os recursos hídricos. 

José Maria Neves salientou o facto de Cabo Verde, um arquipélago com escassos recursos hídricos, estar perto de cumprir a meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM) no que diz respeito ao acesso domiciliário ou mais facilitado à população nos 22 concelhos do país.

O chefe do Governo cabo-verdiano destacou, a propósito, a importância da 
criação do FASA, mecanismo criado para apoiar todos os municípios na melhoria das infraestruturas e na gestão da água.

Este Fundo é financiado no quadro do segundo compacto do Millennium Challenge Account (MCA) e integrado no Projeto Água, Saneamento e Higiene (PASH), orçado em 41,1 milhões de dólares americanos (30,4 milhões de euros).

O FASA, que conta com 26 milhões de dólares americanos, visa beneficiar mais de 10.000 pessoas com a ligação domiciliária ou melhorar o acesso a água potável das populações, estando prevista a criação de empresas municipais e intermunicipais para garantir uma melhor gestão.

Neste sentido, o Fundo irá promover e apoiar o Governo cabo-verdiano no processo de reforma em curso para o setor da água e saneamento, consistindo na instalação de um mecanismo financeiro "sólido, transparente e responsável" na prestação de serviços de água e saneamento às famílias cabo-verdianas e às instituições públicas e privadas.

A realização de estudos e assistência técnica, melhorias operacionais dos sistemas existentes e expansão dos sistemas de abastecimento de água e saneamento, são as três categorias do projeto que serão financiados no âmbito do FASA.

FONTE: https://www.facebook.com/pages/Agenda-Africana/152241788287314?fref=ts

Nenhum comentário:

Postar um comentário