sábado, 11 de janeiro de 2014

ÁFRICA É DESTAQUE NA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA


A necessidade de adquirir petróleo e derivados para abastecer o mercado interno impulsionou a importação africana para o Brasil. Em 2013, as importações de produtos africanos somaram US$ 17,4 bilhões na balança comercial brasileira – 22,9% a mais que em 2012, quando a balança registrou US$ 14,2 bilhões. Esse foi o maior crescimento apurado no ano passado.

Os combustíveis representam mais de 80% das importações brasileiras originárias da África, seguida por adubos. Até novembro, as aquisições de produtos nigerianos somaram US$ 8,7 bilhões – US$ 8 bilhões em óleos brutos de petróleo. A Argélia, recebeu US$ 2,7 bilhões, seguida do Marrocos, com US$ 1,3 bilhões e Angola, que registrou o maior crescimento, saltando de US$ 46 milhões em 2012 para US$ 696 milhões até novembro, quase a totalidade em petróleo, gás e derivados. O aumento de 396% nas transações com a Guiné Equatorial também deve-se à aquisição de combustíveis, que representam a totalidade das aquisições.
Importações brasileiras da África
Importacoes_jan_nov
Dados: MDIC
Os dados divulgados pelo Ministério do Planejamento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) na última semana apontam, no entanto, a crescente redução das exportações brasileiras para a África. Em 2013, os produtos enviados ao continente somaram US$ 12,2 bilhões – US$ 1,12 bilhão a menos que em 2012.
O recuo de 9,2% foi o maior no período entre os blocos que comercializam com o Brasil. O MDIC ainda não divulgou o resultado de todo o ano por país, mas, de acordo com o relatório parcial, entre janeiro e novembro, as exportações para países historicamente parceiros, como Egito, Nigéria e Tunísia, sofreram queda. O açúcar, as carnes e os cereais representam cerca de 60% das exportações brasileiras para a África. A Líbia, país com maior aumento relativo de aquisição de produtos brasileiros, investiu mais de US$ 234 milhões em minérios de ferro, aglomerados e derivados nacionais, contra US$ 78 milhões em 2012.
Exportações brasileiras para a África
Dados: MDIC
Dados: MDIC
Superávit modesto

A balança comercial do Brasil registrou superávit de US$ 2,56 bilhões em 2013. O resultado é o pior desde 2000, quando houve déficit de US$ 731 milhões. A redução no saldo positivo de 86%  – em 2012, o superávit foi de US$ 19,39 bilhões – deve-se principalmente à redução de produção de petróleo no país, devido à necessidade de manutenção das plataformas, declara o MDIC.
A conta petróleo (transações comerciais do produto e derivados) apresentou déficit comercial de mais de US$ 20 bilhões em 2013, enquanto no ano anterior, o déficit foi de US$ 5,5 bilhões. O MDIC relacionou ainda ao resultado o atraso na contabilização da importação de combustíveis e derivados. Em 2012, a Receita Federal editou uma instrução normativa que aumentou o prazo de 20 para 50 dias para o registro das importações de combustíveis e derivados realizadas pela Petrobras. De acordo com a pasta, US$ 4,5 bilhões em importações que ocorreram em 2012 foram contabilizadas somente no ano passado, influenciando o resultado da balança.
O Porto de Santos é uma das principais portas de entrada e saída de mercadorias no Brasil
Foto: PAC 2/Flickr
Exportações de plataformas melhoram o resultado

O superávit da balança está relacionado à exportação de sete plataformas e navio-plataformas para exploração de petróleo e gás, que somaram US$ 7,7 bilhões. Mesmo vendidos por fabricantes brasileiros a empresas sediadas no exterior, os equipamentos permanecem em território nacional, pois são alugados por petrolífera nacional. A atividade é legal e, de acordo com o MDIC, não se trata de um artifício para melhorar os resultados.“Se, de um lado, a venda é contabilizada na balança comercial, de outro lado, o contrato de leasing [aluguel] é contabilizado na balança de serviços com sinal negativo. Tem-se claramente a contabilidade em crédito e débito”, afirmou o secretário de Comércio Exterior, Daniel Godinho.
O ministério também atribuiu o resultado à crise financeira internacional, que impactou as exportações brasileiras em mercados tradicionais, como o europeu. As exportações somaram US$ 242,17 bilhões – redução de 1% em relação a 2012 – e as importações US$ 239,61 bilhões – aumento de 6,5% em relação ao ano anterior.
FONTE: http://brazilafrica.com/negocios/africa-e-destaque-na-balanca-comercial-brasileira/

Nenhum comentário:

Postar um comentário