domingo, 23 de fevereiro de 2014

Israel expulsa imigrantes africanos ilegais para o Uganda

O governo israelense começou a enviar os imigrantes africanos clandestinos para o Uganda com a autorização desse país, informa nesta quarta - feira o diário Haaretz, citando altos responsáveis governamentais, noticiou a AFP.
Segundo o diário, há um mês, dezenas de imigrantes aceitaram deixar Israel e alguns já partiram para o Uganda. As autoridades israelense propuseram aos imigrantes africanos sem documentos uma soma de 3.500 dólares caso aceitem deixar "voluntariamente " Israel  antes do fim de fevereiro.
Em junho de 2013, o representante do governo havia dito perante o Tribunal supremo que um acordo tinha sido concluído com um país disposto a acolher os imigrantes africanos, sem revelar o nome desse país.
Segundo o ministro do Interior Gideon Saar, 1.500 imigrantes deverão deixar Israel neste mês de fevereiro, contra 765 em janeiro, 325 em dezembro e 63 em novembro. O gabinete israelense da população  e da imigração havia precisado que em setembro de 2013, 53.646 imigrantes africanos se encontravam em Israel, dos quais 35.987 eritreus, 13.249 sudaneses  e 4.400 originários de outros países.
Actualmente, a cerca electrónica construída por Israel ao longo dos 230 quilómetros de fronteira com o Egipto reduziu praticamente o número de entradas ilegais a partir da Península do Sinai.
Milhares de imigrantes africanos manifestaram –se  nesses últimos meses contra a recusa das autoridades israelenses de lhes conceder o estatuto de refugiados.
Segundo uma lei votada a 10 de Dezembro de 2013, os imigrantes clandestinos podem ser a  colocados até um ano em centros de detenção sem julgamento.
FONTE: http://www.africa21digital.com/politica/ver/20036482-israel-expulsa-imigrantes-africanos-ilegais-para-o-uganda

Nenhum comentário:

Postar um comentário