sábado, 1 de março de 2014

BRASIL RECEBE ESTUDANTES AFRICANO


Dos 570 estrangeiros selecionados para universidades brasileiras, 338 são da África.


As universidades brasileiras receberão, nos próximos dias, 570 estudantes estrangeiros que vêm ao Brasil para cursar uma graduação por meio do Programa Estudante-Convênio de Graduação (PEC-G). Do total, 338 ou 59,3% são africanos, originários de 14 países. Os demais vêm de 23 países da América Latina, Ásia e Caribe. Cabo Verde reuniu o maior número de aprovados – 103, seguido de Benim (73), Angola (59), Gana (26), São Tomé e Príncipe (19), Moçambique (13), entre outros. A América de língua espanhola está em segundo lugar quanto ao número de alunos. Os hondurenhos conseguiram 35 vagas, seguidos de paraguaios (18), peruanos (16), colombianos (12) e equatorianos (11). Da Ásia, foram selecionados dois estudantes do Paquistão, um da Tailândia e um do Timor Leste.

Desenvolvido pelos ministérios da Educação e das Relações Exteriores, em parceria com 96 instituições federais, estaduais e particulares, o PEC-G oferece oportunidade de formação superior a jovens na faixa de 18 a 23 anos de idade, vindos de países em desenvolvimentocom os quais o Brasil mantenha acordos educacionais e culturais. Em 2014, o programa completa 50 anos e a estimativa é de que tenha atendido, nesse período, 15 mil jovens.

A graduação para o estudante do PEC-G é gratuita, mas ele deve custear suas despesas com moradia, transporte e alimentação durante o período que permanecer no Brasil. Exceto os selecionados de nações da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), os demais devem apresentar o certificado Celpe-Bras para ingressar na faculdade. O aluno que não tem o Celpe-Bras pode estudar Língua Portuguesa na instituição onde foi selecionado para fazer a graduação, e prestar o exame. Reprovados no Celpe-Bras perdem a vaga na graduação.

Outras iniciativas

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) oferece regularmente oportunidades de estudos. Em outubro, 148 africanos foram selecionados para fazer mestrado no Brasil por meio de edital do conselho. Dentre eles, 78 são de Moçambique, 46 de Cabo Verde, 12 de Angola e 12 do Benim. Moçambique, parceiro estratégico do Brasil em diversas áreas, beneficia-se ainda com o uma chamada de iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia do país e o CNPq, que seleciona bolsistas para mestrado e doutorado. Saiba mais em Parceiros na educação. 

Resultado em breve

A Universidade da Integração Nacional da Lusofonia Afro-Brasileira também ofereceu 194 vagas para cursos de graduação no Ceará e na Bahia. Ao todo, participaram do processo seletivo, 905 inscritos de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.

A divulgação do resultado preliminar está prevista para o dia 17 de março e o resultado finalpara o dia 20 de março. Os candidatos interessados em entrar com recursos contra o resultado preliminar devem realizar nos dias 17 e 18 de março.

FONTE: http://brazilafrica.com/educacao/brasil-recebe-estudantes-africanos/

Nenhum comentário:

Postar um comentário