sexta-feira, 16 de maio de 2014

Com apoio de agência da ONU, estudantes centro-africanos continuam estudos no Chade


Moussa com a máquina de costura que lhe foi emprestada. Ele usará a máquina para ganhar algum dinheiro extra e retomar seus estudos em Direito no Chade. Foto: ACNUR/M. Farman-Farmaian Moussa, de 30 anos, estava estudando Direito na Universidade de Bangui, na República Centro-Africana (RCA), quando – assim como milhares de outras pessoas, incluindo estudantes de ensino superior – interrompeu seus estudos para fugir da violência em seu país.
O jovem africano acabou indo para o Chade, que já recebeu quase 100 mil pessoas que fugiram da RCA.
Recentemente, ele conseguiu uma das 67 bolsas oferecidas aos estudantes da RCA pelo Instituto Estatal de Politécnica de Engenharia, Comércio e Administração (EPICA, na sigla em inglês), em N’Djamena. O arranjo teve a ajuda do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) no Chade.

“Eu quero realmente continuar com os meus estudos e ainda planejo defender pessoas, com palavras claras”, afirma Moussa. Outros estudantes que possuem bolsas estão estudando cursos como gestão de informação, administração de empresas, sociologia, gestão hoteleira e cursos no ramo de eletrônicos e de comércio.
O ACNUR se propôs a ajudar com alojamento, fornecendo itens como cobertor, mosquiteiro e artigos de higiene, além de providenciar transporte até o local de estudo.

A agência da ONU para refugiados tem realizado reuniões periódicas para ajudar na orientação dos estudantes refugiados recém-chegados e para assegurar que eles estejam plenamente conscientes das exigências da bolsa de estudos. Isso também auxilia os estudantes a se tornarem autossuficientes e a procurarem oportunidades de subsistência.
Moussa, por exemplo, tem uma máquina de costura emprestada e se dedicará ao trabalho de alfaiataria para ajudar com suas despesas extras, além de ajudar os seus compatriotas.
“É importante para nós aproveitarmos essa oportunidade não apenas para promover a educação dos refugiados, mas também para explorar, mais profundamente, as capacidades, habilidades e interesses individuais dessas pessoas. Deste modo, seremos capazes de ajudar os refugiados a recuperarem sua estabilidade, independência e, o mais importante, sua dignidade”, disse Aminata Gueye, representante do ACNUR no Chade.

FONTE: http://www.onu.org.br/com-apoio-de-agencia-da-onu-estudantes-centro-africanos-continuam-estudos-no-chade/

Nenhum comentário:

Postar um comentário