domingo, 8 de junho de 2014

Quilombola mais idoso do Brasil chega aos 109 anos

Antônio Benedito da Conceição, conhecido como Antonio Mulato, moar no quilombo Mata Cavalo, em Nossa Senhora do Livramento (MT).

quilombola Antônio Benedito da Conceição, conhecido como Antonio Mulato, morador do quilombo Mata Cavalo, em Nossa Senhora do Livramento (MT), desafia o tempo e chega, neste mês de junho, aos 109 anos. Com essa idade, é o quilombola mais idoso do Brasil. Exibindo boa saúde e lucidez, está também na lista dos mais velhos brasileiros vivos, superando em 35 anos a expectativa de vida no País, que é de 74,6 anos, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Nascido em 12 de junho de 1905, ainda guarda na memória informações sobre a abolição da escravatura no Brasil, decretada em 1888. Ele conta que demorou muito para essa informação chegar em sua comunidade, devido às dificuldades de comunicação e transporte da época. Algumas situações ele não viveu, mas se lembra dos parentes contarem. “As mulheres estavam na beira do rio lavando roupa, largaram roupa, largaram sabão e foram comemorar que estavam livres”, relata.

Para manter a saúde, o idoso não dispensas o guaraná ralado, que é um energético natural, muito usado pelos mato-grossenses. Come também banha de porco e melaço. Não tem nenhuma doença crônica, por isso não toma remédio na rotina, nem mesmo para a pressão arterial, doença comum na terceira idade.

 


“Às vezes, ele sente tontura e aí toma remédio para resolver isso”, conta um dos netos do idoso, o vereador Airton Conceição de Arruda, 48 anos. “Ele é muito forte e não para.”

A festa de comemoração do aniversário de Antonio Mulato, que já virou tradição, está marcada para o dia 15 de junho, no quilombo Mata Cavalo. Um churrasco será servido para toda a comunidade e convidados de fora.

“Já andei muito pelo Brasil, em toda a rede quilombola, e há muitos centenários, mas ninguém com idade mais avançada que ele”, assegura Carlos Alberto Caetano, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial em Mato Grosso (Seppir-MT). “Senhor Antonio é um dos símbolos vivos da resistência quilombola e já foi homenageado várias vezes na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. A trajetória dele merecia uma biografia.”

Antonio Mulato foi casado três vezes, tem 13 filhos, 31 netos, 36 bisnetos, 20 tataranetos e 1 tatataraneto. Em Mato Cavalo vivem cerca de 524 famílias, descendentes de negros que foram escravizados.
                  FONTE: http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/quilombola-mais-idoso-do-brasil-chega-aos-109 anos,d19a5e49df076410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário