sábado, 26 de julho de 2014

Ministra da Educação de Guiné Bissau estudou no Brasil


Maria Odete Semedo foi nomeada a nova Ministra da Educação pela segunda vez, fez doutorado na PUC - Minas.

Maria Odete Semedo defendeu seu doutorado em Letras , em 2010, na PUC Minas, com a tese As Mandjuandadi: Cantigas de mulher na Guiné-Bissau: da tradição oral à literatura. A proposição de Odete estuda a tradição oral africana, tendo como foco as cantigas de dito de grupos femininos guinenses. "As mulheres de Guiné-Bissau cantam para expressar seus sentimentos. São elementos do cotidiano transformados em operadores de discurso", explica Odete Semedo.   

Foto: Ministra da Educação de Guiné Bissau estudou no Brasil

Maria Odete Semedo foi nomeada  a nova Ministra da Educação pela segunda vez,  fez doutorado na PUC - Minas.

Maria Odete Semedo defendeu seu doutorado em Letras , em 2010, na PUC Minas,  com a tese As Mandjuandadi: Cantigas de mulher na Guiné-Bissau: da tradição oral à literatura. A proposição de Odete estuda a tradição oral africana, tendo como foco as cantigas de dito de grupos femininos guinenses. "As mulheres de Guiné-Bissau cantam para expressar seus sentimentos. São elementos do cotidiano transformados em operadores de discurso", explica Odete Semedo. 

Foi ministra de Guiné - da Educação, de 1997 a 1999; e da saúde, de 2004 a 2005 - é também pesquisadora do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa de Guiné- Bissau) e possui quatro livros publicados de poesias e contos infanto-juvenis. Durante o período como ministra da Saúde, ela visitou a PUC Minas pela primeira vez. "Foi no Encontro Brasil-África, em 2004, que eu conheci a PUC. Eu tive uma sensação muito boa, como se já estivesse estado aqui. Nesse momento decidi que faria meu doutorado no Brasil". Naquela época, Maria Odete já estava com tudo pronto, orientador definido e bolsa garantida, para iniciar sua pós-graduação na Universidade de Letras de Coimbra, em Portugal. Mas o sentimento de identificação com a Universidade foi decisivo. "Acho que até o fato de o Brasil ter sido colônia de Portugal como Guiné-Bissau ajudou no relacionamento", ressalta Odete. 

Maria Odete,  foi a primeira aluna de Guiné-Bissau a fazer doutorado na PUC Minas, conta que foi muito bem acolhida por professores e alunos, e só guardará boas recordações do Brasil. "Foi um momento singular. A PUC foi uma casa, um refúgio, onde encontrei sensibilidade e paz", enfatiza.
Foi ministra de Guiné - da Educação, de 1997 a 1999; e da saúde, de 2004 a 2005 - é também pesquisadora do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa de Guiné- Bissau) e possui quatro livros publicados de poesias e contos infanto-juvenis. Durante o período como ministra da Saúde, ela visitou a PUC Minas pela primeira vez. "Foi no Encontro Brasil-África, em 2004, que eu conheci a PUC. Eu tive uma sensação muito boa, como se já estivesse estado aqui. Nesse momento decidi que faria meu doutorado no Brasil". Naquela época, Maria Odete já estava com tudo pronto, orientador definido e bolsa garantida, para iniciar sua pós-graduação na Universidade de Letras de Coimbra, em Portugal. Mas o sentimento de identificação com a Universidade foi decisivo. "Acho que até o fato de o Brasil ter sido colônia de Portugal como Guiné-Bissau ajudou no relacionamento", ressalta Odete. 

Maria Odete, foi a primeira aluna de Guiné-Bissau a fazer doutorado na PUC Minas, conta que foi muito bem acolhida por professores e alunos, e só guardará boas recordações do Brasil. "Foi um momento singular. A PUC foi uma casa, um refúgio, onde encontrei sensibilidade e paz", enfatiza.

FONTE: https://www.facebook.com/152241788287314/photos/a.152374714940688.1073741826.152241788287314/300126253498866/?type=1

Nenhum comentário:

Postar um comentário