sábado, 23 de agosto de 2014

Trabalhadora rural é assassinada em assentamento no Mato Grosso

Maria Lúcia do Nascimento e as outras famílias assentadas já tinham sofrido ameaças do proprietário da fazenda; testemunhas afirmam que o executor dos disparos foi um funcionário do fazendeiro

A guerra dos conflitos agrários fez mais uma vítima. Desta vez, a ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura do município de União do Sul, em Mato Grosso, Maria Lúcia do Nascimento, foi assassinada a tiros na última quarta-feira (13). O crime aconteceu no assentamento Nova Conquista 2, localizado na mesma região.
   
Maria Lúcia do Nascimento foi assassinada na última quarta-feira (13)em assentamento no Mato Grosso. 
   
De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Maria Lúcia e as outras famílias assentadas já tinham sofrido ameaças do dono da fazenda, Gilberto Miranda. As denúncias foram inclusive registradas em Boletins de Ocorrência e em atas feitas diretamente ao ouvidor agrário nacional, desembargador Gercino José da Silva Filho. Ainda segundo a Contag, a Justiça local já havia concedido às famílias a reintegração da fazenda, garantindo, legalmente, a permanência dos assentados.
Testemunhas afirmam que o executor dos disparos foi um funcionário do fazendeiro, que há dias já rondava a região com uma arma de fogo à mostra para intimidar as pessoas. A Contag já trabalha diretamente com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para que o caso seja apurado pelas autoridades o mais rápido possível.
FONTE: http://www.brasildefato.com.br/node/29513

Nenhum comentário:

Postar um comentário