sábado, 6 de dezembro de 2014

Feira Preta 2014 acontece dia 07 de dezembro no Pavilhão de Exposições do Anhembi Leia a matéria completa em: Feira Preta 2014 acontece dia 07 de dezembro no Pavilhão de Exposições do Anhembi

logo2

Evento traz dança, gastronomia, exposição de produtos, oficinas e atrações musicais, como Sandra de Sá e Aláfia
Sandra de Sá canta músicas novas e antigos sucessos na Feira Preta 2014

Enviado por Adriana Barbosa via Guest Post

Considerada a maior feira de cultura negra da América Latina, FEIRA PRETA CULTURAL, o evento é um modelo híbrido de cultura e economia que reúne inúmeros representantes da cultura afro-brasileira e empreendedores de diversas regiões do Brasil. Atua em duas vertentes: disseminação da cultura negra e estimulo a negócios de empreendedores negros. Criado em 2002 pela Gestora de Eventos Adriana Barbosa, a Feira Preta está em sua 13ª edição e acontece no dia 07 de dezembro no Pavilhão de Exposições do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1209 – Santana, São Paulo). A programação estende-se em várias atividades, como shows, oficinas de literatura, dança e percussão, exposição de obras de arte, exposição de produtos étnicos, gastronomia e espaço literário.

Desta forma, a Feira mostra a extensão da cultura negra de São Paulo e também do Brasil, suas nuances, variedades e formas de expressão. “Oobjetivo da Feira Preta é mostrar à sociedade o que está sendo produzido pelo o segmento negro em termos de produtos e serviços, incen­tiva o desenvolvimento sustentável das micro e pequenas empresas e gera emprego e renda, além de reunir, em um único espaço, todas as linguagens artísticas para difundir a cul­tura negra”, explica Adriana Barbosa. A Feira tem caráter anual e envolve empreendedores e artistas, negros ou não, cuja produção seja voltada aos negros ou tenha a ver com a cultura africana.

Artistas e empreendedores de todo o país como São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Minas Gerais, Ceará e Brasília marcam presença na feira com produtos para cabelos e pele negra, roupas que dialoguem com as formas do corpo da mulher negra, livros, brinquedos, decoração, literatura, cinema, fotografia, música, artes plásticas, todas as linguagens que tenham haver com a temática da cultura negra. Em sua  primeira edição, em 2002, na Praça Benedito Calixto, região de Pinheiros, em São Paulo, haviam 40 expositores. Em 2013 foram 100, e, neste ano, a expectativa é que o número aumente, junto com o público, que anualmente vai em peso. Ano passado, cerca de 16 mil pessoas estiveram presentes na Feira.

PROGRAMAÇÃO
PALCO 01
Clanm (Dança) – Rio de Janeiro/RJ – A Clanm – Cia. Laboratório de Arte Negra em Movimento é um grupo de dança, criado em 2012, composto por jovens oriundos de bairros do subúrbio carioca, tais como: Andaraí, Brás de Pina, Jacaré e Mangueira. Utiliza uma linguagem estética própria que traz referências da cultura afro descendente ressaltando o diálogo entre a África contemporânea, a experiência diaspórica e a atual conjuntura da cultura nacional.

Karla da Silva (Música) – São Paulo/SP – Começou em 2007 cantando em tradicionais casas de samba da Lapa e no ano de 2009 iniciou uma busca por conhecer novas composições e deu vida ao seu primeiro EP, numa viagem ao universo da canção Popular Afro-Folclórica, intitulado Festejo e Fé. Em 2012 se inscreveu e foi semifinalista no programa The Voice Brasil, o que a permitiu experiências e aprendizados marcantes com Ed Motta, Carlinhos Brown, Lulu Santos, Torcuato Mariano, dentre outros. A cantora busca ritmos, sons e formas que marcam uma perspectiva mais urbana. Seu primeiro álbum: “Quintal”, teve turnê de lançamento aprovada este ano no Edital Nacional Natura Musical.

Allan Tavares & Juliana Pires (Dança) – São Vicente/SP
Dançarinos, Professores e Coreógrafos do Litoral Paulista, são especializados em Samba Rock, Samba Funkeado, Forró e Zouk. Desenvolveram a sua própria didática de trabalho e procuram sempre atualizar as suas técnicas e movimentações, passando todo o conhecimento de forma clara e detalhada. Em 2012 iniciaram uma parceria e hoje ministram aulas coletivas e particulares diariamente na região da Baixada Santista(SP) e WorkShops por todo o Brasil. Suas especialidades são Samba de Gafieira, SambaRock, Samba Funkeado, Forró e Zouk.

Marcelo Santos (Dança) – Campinas/SP
Formado em Educação Física – PUC Campinas-SP. Pesquisou o a Dança Jazz como Exercício Físico e Qualidade de Vida. Dançou por 7 anos no Galpão 1 – Érika Novachi Grupo de Dança em Indaiatuba-SP.Especializou-se em Lyrical Jazz com sua Mestra Érika Novachi. Participou do 1º e 3º Congresso de Internacional de Jazz Dance em Indaiatuba-SP.. Integrou a Cia de Sapateado Christiane Matallo em Campinas-SP. Participa há 8 anos do Festival Internacional de Sapateado Americano onde foi Solista premiado em 2012 e 2013 com bolsa de estudos para o Brasil e USA. Integrou o elenco de New York New York – O Musical temporada 2012 e 2013.

Maverick Soul (Música) – São Bernardo do Campo/SP – Fundada em 2008, traz influências do samba-funk, samba de raiz, samba de roda e do rock, estas tendências fizeram com que o projeto musical do grupo se identificasse com o sambarock, gênero surgido na década de 1960 na periferia de São Paulo. Em seu repertório há composições autorais, as quais tratam de temas atuais e polêmicos, como é o caso da música Raf Relaxe, uma das faixas do cd Na Cabeça, lançado em abril/2013, que retrata o problema do bullying. A banda também apresenta canções de artistas renomados, como Seu Jorge, Tim Maia, Bebeto, Jorge Benjor, Branca di Neve, Jair de Oliveira e artistas da MPB, fazendo releituras de alguns trabalhos destes intérpretes e compositores.

Dj MF (música) – São Paulo/SP – Carlos Augusto Soares, mais conhecido como DJ MF – três vezes finalista do Hip Hop DJ Brasil – nasceu em São Paulo, na zona oeste, em 1977. Começou a tocar no final dos anos 90, incentivado pelos DJs Ninja e KL Jay (Racionais MCs) com quem mantém, ainda hoje, parcerias constantes em festas e eventos. O soul brasileiro da década de 70, o samba-rock, os clássicos do rap e o que há de mais atual na música em geral são jogados num caldeirão atemporal que levanta qualquer pista. Seus diferenciais incluem o trabalho como oficineiro no qual ele mistura as técnicas de discotecagem com lições de cidadania. 

Desfile de moda com a grife Bruna Battysempresa que desenvolve e cria todos os tipos de uniformes para empresa, eventos, feiras , ações promocionais, figurinos artísticos para shows , roupas sob medida e customização de abadas. A grife foi fundada em 2009 pela própria estilista em 2010, com a pretensão de criar peças  com formas, tecidos, modelagens, cores e  estampas diferenciadas, saindo do comum e criando conceitos inovadores a cada coleção desenvolvida.

Aláfia – As batidas eletrônicas e as rimas improvisadas misturam-se às fortes performances da banda formada por Eduardo Brechó (voz, violão e direção musical), Xênia França (voz), Jairo Pereira (voz), Alysson Bruno (percussão), Lucas Cirillo (gaita), Pipo Pegoraro (guitarra), Gabriel Catanzaro (baixo), Gil Duarte (trombone), Filipe Vedolin (bateria), Fabio Leandro (teclado). Reconhecidos pela música recheada de ancestralidade afro-brasileira, influenciada pelos batuques dos terreiros, pelo improviso das rimas e uma infinidade de influências e referências, o Aláfia passeia suas notas pela agressividade de James Brown, a palavra de luta de Gil Scott Heron e Last Poets e o espírito funk de George Clinton e Steve Wonder.

Carlkiss Dance (Dança) – Campinas/SP – Companhia de Dança Negra Contemporânea, com enfase na pesquisas das danças tradicionais do Oeste e Sul africano e nas danças de origem negra brasileira. Tem o objetivo de expandir e divulgar as técnicas de dança negra contemporânea.

Sandra de Sá – Dona de uma personalidade marcante e um timbre de voz singular, Sandra de Sá vem para São Paulo participar da Feira Preta. Em seu 34° ano de uma carreira vitoriosa, a Rainha do Soul Brasileiro já está de passagem carimbada No show, Sandra vai cantar músicas de seu mais novo CD “Lado B” e sucessos que se tornaram verdadeiros hits, tais como “Olhos Coloridos”, “Sozinha”, Bye Bye Triesteza”, entre muitas outras composições que não só fazem parte da sua identidade como também contam um pouco da sua própria realidade.

PALCO 2
Kamaphew Tawa e Banda Aspiral do Reggae (Música) – Salvador/BA – Kamaphew Tawá é cantor e compositor natural de Minas Gerais, Está na Bahia desde 1994 desenvolvendo o Roots Reggae que é o símbolo da resistência rastafariana. Gravou seu primeiro álbum em 99, intitulado “Fonte do Saber” Tem no seu repertorio, composições próprias e interpretações de grandes ídolos da música reggae como Bob Marley, Peter Tosh, Albert Griffiths.

A Quebrada (Música) – Rio de Janeiro/RJ – Formada por jovens que participaram de projetos sociais de música na cidade do Rio de Janeiro, em sua maioria moradores do morro Santa Marta. A Banda,realizou um ano de bailes mensais na quadra do Morro Santa Marta entre 2011 e 2012.  No repertório, músicas conhecidas pelo público com arranjos inéditos e repletos de influências da música black dançante, soul music e samba rock. Um prato cheio para os apreciadores da boa música e os dançarinos de plantão. Até hoje, a banda já recebeu convidados de peso como Bnegão, Hyldon, Thalma de Freitas, MC Marechal, Carlos Dafé, Sá e Gabriel Moura.

Monkey Jhayam & QG Imperial (Música) – São Paulo/SP – Nos teclados, Lucas Alemão Jah Zus, pioneiro no segmento e fundador no QG Imperial, banda de apoio das vertentes de ritmos jamaicanos e da música em geral. A banda já acompanhou mais de 100 cantores do Brasil e do Mundo e traz Fabrício Jah Fayah Elijahna bateria, Danilo Ras Tae no baixo, Ras Fernando Alves nos backing vocals e guitarra, e Monkey Jhayam vocalizando de forma versátil, com suas mensagens de reivindicações e composições de militâncias que buscam o auto conhecimento.

  
Vinho Vinil (Música) – São Paulo/SP

Juntos desde 2001 os mineiros Sãozinho, Amynthas Coura e Leo Giorni formam a Vinho Vinil, uma banda que mistura Rock com elementos da Musica Popular Brasileira.
Participaram de importantes festivais de música autoral e em 2009 conquistaram o primeiro lugar com a música “Brazilian Music” no FUNMUSIC. Na discografia são 03 CDs e 01 DVD, todos autorais. No momento preparam-se para a turnê de lançamento do DVD “Ao vivo em São Paulo” que passará por São Paulo capital e interior, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Argentina.

DJ Nego (Música) – São Paulo/SP – Uma das grandes revelações de Open Format, seu feeling traz o melhor do Hip Hop, House, Funk e Trap para cada momento. Atuando desde 2009 na área, faz parte da história da cena Hip Hop onde teve inúmeras  participações com os melhores Djs do ramo, tais como: Dj Kl Jay,  Dj Cia, Dj King , Dj Flash entre outros. Já tocou nas principais Festas e Clubs tais como: Sintonia (Dj Kl Jay) – Virada Cultural SP – Carioca Club (Interlagos) – Cabral – Nos tempos da Soweto – Milo Garage  – Mustafá (Florianópolis) – Inferno Club – Hole Club – Neo Club – Clube Glória – Eucaliptos – Casa Kenty (Sorocaba) – Terra Country – Mary Pop – Candieiro Bar – Lab Club – Blitz – African Beer – Morfeus Club – Tróia (Campinas).

Vitor Veni (Música) – São Paulo/SP – Cantor, compositor e produtor musical, Vitor Veni tem envolvimento com a música desde os seus dez anos de idade, quando ganhou de presente de seus pais um cavaco e nele dedilhou os primeiros acordes de samba da música “Por causa de você, menina” de Jorge Ben Jor. Posteriormente foi conhecendo outros cantores do cenário da música brasileira, mas isso não o impediu de ouvir músicas internacionais, por influência de seus pais, ouvia cantores épicos como, Ray Charles, B.B. King, Lionel Richie e Michael Jackson fizeram parte do desenvolvimento e conhecimento musical do cantor. Montou seu próprio estúdio, onde, durante o primeiro semestre do ano de 2012 realizou o projeto de seu primeiro álbum intitulado “Vitor Veni”.

Kush Crew Co. /Batalha Racional (Música) – São Paulo/SP – A batalha racional acontece desde de 2011 na Avenida Paulista esquina com a Rua Augusta todas as sextas feiras do mês.Com o diferencial de ser a primeira batalha do circuito paulista no formato de batalha temática, oito mc´s disputam o premio de campeão através de rimas feitas em cima de temas, sejam eles levantados pela plateia ou pre definido pelos organizadores. O maior diferencial é o formato temático, são abordados temas como, repressão, preconceito racial e política..

SAMBA DE RODA PAQUERA PRESIDENTE
Uribe – São Paulo/SP – Uribe propõe a observação em torno do candomblé promovendo uma Gira em homenagem ao seu orixá de cabeça no show “Ventos de Xangô”. Cantor, compositor e instrumentista, Uribe é um artista da nova cena da MPB brasileira. Paulistano, moderno e criativo, Uribe lançou em 2013, junto com o Projeto Vinagrete, o álbum “Misturar é Preciso” pelo selo Kuarup. Transmite em suas composições as influências de tudo que ouve como samba, axé, pop, rock, baião, de tudo.

Grupo Butiquim – Rio de Janeiro/RJ

(Samba de Raíz) Com repertório que procura resgatar os principais elementos do samba tendo como referência o Cartola, Noel Rosa, Almir Guineto, Zeca pagodinho e toda turma do Cacique de Ramos, além das músicas autorais.

T-Kaçula – São Paulo/SP
LITURGIA DE BAMBA

(Samba) Com um toque de africanidade, o CD Liturgia de Bamba mistura samba raiz com uma influência do toque dos atabaques africanos, onde cada faixa reverencia um orixá do Candomblé,proporcionando um ritmo cativante e envolvente. O CD conta ainda com as participações especiais da Velha Guarda da Camisa Verde e Branco, do Rapper Emicida, e dos cantores/sambistas Fabiana Cozza, Tuca da Silva e Almir Guineto. Sambista, sociólogo, pesquisador da história da cultura popular afro-brasileira e do samba com um recorte voltado ao Samba de São Paulo idealizou e realizou “Memórias do Samba Paulista”. Organizador de intercâmbio musical com o Projeto TERREIROS DO BRASIL. Fundador do Instituto Cultural Samba Autêntico que pesquisa e divulga a história do samba e suas vertentes e um dos idealizadores do projeto Rua do Samba Paulista.

ESPAÇO LITERÁRIO DA PRETA

 Roberto Leal – Salvador/BA – REVISTA ÒMNIRA (out/dez)
Roberto Leal, escritor soteropolitano, jornalista, editor e ativista cultural, nascido em Salvador a 29 de abril de 1962, nos Alagados, hoje bairro do Uruguai. Autor de Cárcere de Poemas, Ed. Òmnira/BA-2000(esgotado), é colaborador em jornais como A Tarde e Tribuna da Bahia, revistas e periódicos no Brasil e exterior, é editor da revista de literatura Òmnira, organizador de dezenas de coletâneas e antologias em poesia e conto, têm mais de 600 trabalhos editados/publicados entre poesias, contos, crônicas e artigos, ao longo dos seus 28 anos de atuação.

 Haroldo Cesar de Castro Silva – Rio de Janeiro/RJ
Conhecido no Rio de Janeiro como “escritor Gari”, Haroldo há 28 anos divide seu tempo entre o samba e a Comlurb, companhia de coleta de lixo. Responsável pelo programa “Lixo Zero no Centro”, lançou 3 livros de forma independente, o último, intitulado “Toda família sambista”, com prefácio de Nei Lopes. É compositor da Imperatriz Leopoldinense e do Acadêmicos do Engenho da Rainha.

Grupo Multiétnico de Empreendedores Sociais (Autor: Oscar Henrique Marques Cardoso) – Porto Alegre/RS
O Grupo Multiétnico de Empreendedores Sociais (GMES), entidade não-governamental do movimento social civil atua há mais de uma década em ações e iniciativas favoráveis a promoção da cidadania, dos direitos humanos, combate ao racismo e formação social e educacional, auto-estima de crianças, jovens, adultos, idosos no Rio Grande do Sul e em todo o território nacional, integrado por professores, jornalistas e outros especialistas comprometidos pela causa social e uma longa trajetória nestas ações.
Oscar Henrique Marques Cardoso Radialista começou sua vida literária ainda na adolescência, quando ganhou um prêmio estadual. Oscar Henrique também foi premiado este ano com o Prêmio Diversidade RS, categoria Cultura Negra, pelo projeto Coletânea Negras Palavras Gaúchas, onde reuniu 23 autores negros gaúchos e brasileiros. Autor de outras obras, como Vó Cóia, que retrata o abandono de idosos e os demais títulos Coletânea Negras Palavras Gaúchas, Cuidado! Palavra Viva, Entre Louvores e Amores e Nós, espera com mais este titulo ofertar um material que sirva de apoio para a aplicação da Lei Federal 10.639/2003, que determina o ensino da história e da cultura afro-brasileira na rede pública e privada de ensino.
Fabio Ferreira dos Santos da Silva – Maceió/AL – Godi: um menino chamado liberdade é a primeira obra publicada do professor e escritor Fábio Ferreira.Autor e obra se confundem, na medida em que ambos são parte da mobilização do povo negro em sua busca por mais espaços na sociedade e mais visibilidade. 

Elzelina Dóris dos Santos – Belo Horizonte/MG – Nascida em Minas Gerais, formada em Ciências Contábeis, é licenciada na área de educação além de pesquisadora e intérprete. É idealizadora e coordenadora do Projeto Cantando a História do Samba, criado para valorizar a história social do samba a partir do resgate da memória musical do negro. Atuou como pesquisadora no livro Heranças do Samba, de Aldir Blanc, Hugo Sukman e Luiz Fernando Viana.
Nego Panda – Praia Grande/SP – Livros: NA CABAÇA DO MEU GUNGA e “NO BALANÇO DA MANDINGA” – Periferia tem palavra, este é o lema de Elton Alexandre Pereira dos Santos, o Nego Panda. Militante e ativista cultural, é rapper, escritor,poeta e professor de capoeira. Iniciou sua carreira no grupo Arquivo de Rua e já dividiu o palco com nomes como Racionais, DMN, Consciência Humana, Rappin Hood, entre muitos outros.


Ricardo Escudeiro – Santo André/SP – Ricardo Escudeiro, autor do livro de poemas tempo espaço re tratos, nasceu em Santo André-SP em mil novecentos e oitenta e quatroEm 2013 juntou-se ao Coletivo Tantas Letras, de São Bernardo do Campo, onde publica poemas no Zine Lapada Poética.

Claudia Canto – São Paulo/SP – Livros: “MORTE ÀS VASSOURAS” e “CIDADE TIRADENTES DE MENINA A MULHER”  – Cláudia Canto é escritora, relações públicas, jornalista, palestrante e técnica de enfermagem. Comunicativa e carismática a autora vive a literatura na ebulição de seus sentidos, usa o lirismo, o erotismo e a poesia para traduzir sua alma. Ela já passou por grandes centros urbanos iguais a São Paulo, na Alemanha, Espanha e Portugal e reuniu histórias que descreve em seus quatro livros, onde conta um pouco de tudo. Criou narrativas e personagens ficcionais, mas sempre com um pé na realidade.

Marcelo d ́Salete – São Paulo/SP – Marcelo d´Salete é autor de histórias em quadrinhos, ilustrador e professor. Estudou design gráfico no Colégio Carlos de Campos, é graduado em artes plásticas e mestre em história da arte pela Universidade de São Paulo.
Publicou diversas histórias em quadrinhos na revista FrontGraffitiQuadrecaSuda Mery k! (Argentina), Contos Bizarros, +Soma eStripburger (Eslovênia). Algumas dessas contando com a parceria dos roteiristas Kiko Dinucci. Participou da exposição Consecuencias do Injuve na Espanha, 2002; da exposição de originais da revista Front no FIQ em Minas Gerais, 2003; e da exposição Ilustrando em Revista, Editora Abril. Expos no 7º Festival Internacional de Banda Desenhada e Animação – Luanda Cartoon de 2010 e em Amadora BD, exposição Seis esquinas de inquietação, 2013.

ESPAÇO BRINQUEDOTECA
Era uma vez o Mundo (Exposição de Bonecas) – Rio de Janeiro/RJ – Jaciana e Leandro Melquiades são uma dupla de educadores que acreditam que a educação acontece nos eventos cotidianos, através dos objetos que usamos e da postura que adotamos no mundo. Uma Historiadora e um Latinista que pensam a reorientação dos signos que formam a identidade da criança negra. Os conceitos de negritude, a pigmentocracia e o racismo são questões que os inquieta. A Exposição “Bonec@ pret@ é Identidade” e os produtos atrelados à ela, apresenta pontos como a compreensão da ideia do que é ser um indivíduo negro dentro desta nossa circunscrição social; a valorização do cabelo crespo, observando o cabelo que cada um tem.

Glória Viana (Exposição de Bonecas) – São Paulo/SP – Tecnóloga em Petróleo e Gás por formação e Artesã por amor e profissão. Confecciona bonecas negras e artesanato em geral para público negro e adeptos da cultura negra.
Negro por Negros (Oficina de contação de histórias) – Santa Vitória do Palmar/RS – O Projeto Educacional “NEGRO POR NEGROS” tem como protagonistas os arte-educadores Ana Lucia Rodrigues, Rozane Correa Schmalfuss,ambas  com formação em Letras e Literatura brasileira, Maria Loiraci de Ávila, psicopedagoga e professora de Arte, Joceli Gabriel Igansi Soares, professor de dança afro-contemporânea, dança de rua e Hip Hop, buscam resgatar a tradição oral repassada de geração a geração, agregando fatos reais ou do imaginário presenciados ou não e, que na atualidade não encontram-se registrados em livros de literatura. Através da leitura dos contos buscamos trabalhar não só a literatura, mas também, as questões do cotidiano tais como respeito, solidariedade, inclusão cidadania.


ESPAÇO ZÉ BENEDITO DE OFICINAS

Grupo Símbolo da Liberdade – São Paulo/SP
RODA DE CAPOEIRA E MACULELÊ
O Grupo Símbolo da Liberdade começou em 1992 com o Mestre Pantera trazendo para São Paulo os ensinamentos da Capoeira Regional de Mestre Bimba da Bahia. Tratando com muito carinho de todos os ensinamentos deixados pelas danças dos escravos africanos, a Capoeira Regional é uma Luta com Base nas danças e nos toques do Berimbau.

Solange Machado – São Paulo/SP
MULHER, YABAS BAILAM – Oficina de adereços inspirados na mitologia das Yabas (orixás femininos do candomblé). Ewa – A pureza e a transformação, Oxum – A deusa da beleza e das águas doces, Oba – A mulher apaixonada capaz de tudo para agradar seu amor, Oya – A grande guerreira, Yemanja – A mãe de todos Nanã – A dona do barro. O fim e o recomeço
 

Juçara Nunnes– Belo Horizonte/MG
FUSÃO AFRIKAR – MOVIMENTO DO CORPO AFRO CONTEMPORANEO, uma Fusão da Dança Africana com a Contemporânea. Trabalho desenvolvido com base nas danças africanas fusionadas e Populares Brasileiras. A oficina mostra a dança negra traduzida por sua energia, força nos movimentos e ao mesmo instante sutil com sua leveza e seguindo sua matriz.
Zé Benedito – São Paulo/SP – O percussionista realiza a oficina TOQUES DE TAMBOR, onde ensina os princípios básicos de instrumentos percussivos como o Agogô, Carron, Congas, Djembê, entre outros. A oficina é aberta e os instrumentos ficam disponíveis para os participantes experimentarem conjuntamente as possibilidades de som.
Clanm (Dança Afro) – Rio de Janeiro/RJ

Oficina de DANÇA AFRO SEGUNDO, MERCEDES BATISTA
Criada em 2012, a Clanm – Laboratório de Arte Negra em Movimento é um grupo de dança composto por jovens dos subúrbios cariocas. O grupo busca uma identidade singular em espetáculos de dança para o público jovem, problematizando questões sociais mas dialogando com parâmetros do entretenimento contemporâneo através de uma narrativa artística transmídia que transita entre as artes performáticas, o audiovisual, a web art e a moda.
 

ESPAÇO EXPOSIÇÃO
 Aryani de Almeida Marcino – São Paulo/SP – Exposição “MINHA SOMBRA TAMBÉM SOU EU” – (Fotografia, Desenho)
A artista cursa Licenciatura em Artes Visuais na Escola de Comunicações e Artes na USP, onde também participa da Opá Negra, coletivo de estudantes interessados nas artes negras. Atua no PRÉVIA, um cursinho de caráter colaborativo e popular direcionado a vestibulando de Artes Visuais. Integra o grupo Coro de Carcarás, grupo de maracatu que realiza intervenções político-culturais pela cidade de São Paulo.

Dãn de Oliveira – São Paulo/SP – Exposição “ANCESTRALIDADE À FLOR DA PELE”
(Fotografia, Desenho, Intervenção Urbana)
Dãn Oliveira (também conhecido como Danyahu Praz em suas assinaturas), é um pintor, ilustrador, pesquisador, arte-educador e interventor urbano. é integrante do Cordão Folclórico de Itaquera Sucatas Ambulantes, grupo de Cultura Popular que atua na região da Zona Leste da Capital Paulista. Os seus trabalhos mostra a fusão de vários elementos que o Dãn sempre gostou: a arte do cartoon, a arte urbana (com muita influência do graffiti), as artes étnica-raciais (especialmente temas de matriz afro-descendente e indígenas), mitos folclóricos e também arte rupestre.

 

HH Artes – Samambaia Norte/DF
Membro do Coletivo ArtSam, é militante, é rap, é grafite. Pela voz e pela tinta. Um dos que optaram por mudar a visão da periferia, sob sua essência, meus rabiscos, sua expressão. Os trabalhos seguem um modo de vida urbano ligado a resistência, cotidiano periférico. Fora de ordem, essência, paisagem. Sendo contracultural pelo movimento hip hop, HUD (HH) é grafite, colagem, reutilização, decoração, URBANA. De 2008 o começo na arte urbana se despertou de mais um pivete da periferia. Negra, periférica e marginal.

Bruno Gabiru – São Paulo/SP – Exposição “MÃE ÁFRICA DIÁSPORA” (Fotografia, Desenho)
Bruno Gabiru, 24 anos, é ilustrador e poeta. Busca inspiração nos fatos do seu dia a dia, no surreal, na poesia e na literatura. Reside na região da Cidade Ademar, zona sul de São Paulo. Grande parte das suas obras que serão expostas nesta edição da Feira Preta Cultural, são pinturas feitas em discos de vinil. Por consumir essa forma de mídia, decidiu entrelaçar sua arte a ela, aproveitando seu espaço circular para expressar seu imaginário ligado a uma perspectiva afro-brasileira.

Julio Ramos Aka INT – São Paulo/SP – Exposição: “INTERVENCIDADE”
(Gravura, Pintura)
Designer visual, fotógrafo e artista de rua, Julio Ramos ou “INT” começou a desenvolver arte pelas ruas da cidade de São Paulo pela necessidade de intervir no entorno cinza, através de ícones e imagens que trazem traços de resistência. Expressa por meio de suas telas, a resistência de um povo. Define seu trabalho como “o sublime poder da resistência”. Através das imagens, dos traços e pinturas, a idéia  é que simbolicamente transmitam  sentimentos de força e luta de algo que borbulha por baixo do chão de asfalto da imensa cidade de concreto. Na imponência da mulher negra e na resistência da cultura de raiz ou na energia dos rebelados, em meio ao caos urbano, resistimos.

Marcelo Smile – São Paulo/SP – Exposição “ENTIDADES AFRICANAS” (Pintura)
Paulistano do bairro do Cambuci, Autodidata, a partir dos anos 2000, Marcelo Smile, sai da arte de quadrinhos e fanzines junto com alguns amigos e passa a fazer arte de rua. No início ainda pintava a adoração da juventude, os Cartoons. Com o tempo foi encontrando sua identidade artística. ENTIDADES, obras rapidamente reconhecidas por personagens Africanos e Simbolos que representam a força da cultura africana caracterizam a expressão do artista
Mr. Fred – São Jose dos Campos/SP – Exposição IRMÃOS DE SANGUE (Pintura, Graffiti)

Teve seu primeiro contato com o graffii em 1998, onde também dançava dança de rua, e já desenhava desde criança. Após essa época tomou gosto e decidiu que se dedicaria totalmente para o aperfeiçoamento de técnicas e ter a arte urbana como seu estilo de vida. Mr.Fred ministra várias oficinas de graffiti, palestras, workshops e também trabalhos sócio, educacional e cultural, conhecido em todo território nacional e também com trabalhos expostos em países tais como Chile, Argentina e Peru.

Muha Bazila – Brasilia/DF  (Gravura, Pintura, Desenho) – O jovem artista plástico Muha Bazila se define como “um artista em construção”. Com apenas 24 anos de idade, ele vem ganhando cada vez mais espaço na cena da arte com seus traços de muita personalidade. Começou em 2013, retratando mulheres negras que usam cabelos afro. Em 2014, vinculado à Universidade de Brasília, onde cursa Arquitetura e Urbanismo, Muha Bazila na Feira 102, entre os 16 artistas selecionados para a exposição. Em outubro do mesmo ano, foi selecionado para expor a coleção Odara na Art Freedom, em Paris. A francesa Françoise Nielly, o brasileiro Kobra e o austríaco Voka, são artistas nos quais Muha Bazila encontra referências para criar a própria linguagem.
Tatiane Melo – Taboão da Serra/SP – Exposição “MULHERES SEM FRONTEIRAS”

(Pintura, Desenho) – Tatiane Melo, artista plástica, grafiteira e educadora. Aos 14 anos de idade já produzia telas com motivos paisagísticos, personagens urbanos e imaginários. Ingressei no graffiti em 2006. Hoje investe no seu trabalho acrescentando na sua arte as técnicas do graffiti, utilizando suportes como paredes, customização de roupas e telas, sempre com foco na cultura urbana. Já participou de exposições na Galeria Olido e Clube Estilo, além de diversos murais espalhados pela cidade.

Jurandyr – artista convidado – SP
O artista destaca-se pelos quadros com cores fortes e vibrantes. Tem como inspiração elementos que remetem a cultura do povo brasileiro. Jurandyr leva para o evento telas onde utiliza técnicas diversas com acrílico e tinta óleo.




Serviço

Evento: Feira Cultural Preta
Quando: dia 07 de dezembro de 2014, das 12h às 22h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi



FONTE: http://www.geledes.org.br/feira-preta-2014-acontece-dia-07-de-dezembro-no-pavilhao-de-exposicoes-anhembi/#axzz3L9GZfMvy

Nenhum comentário:

Postar um comentário