sábado, 31 de janeiro de 2015

O céu está em festa: o primeiro Bispo negro de São Paulo



Monsenhor Eduardo Vieira dos Santos, 49,  nomeado por sua Santidade o Papa Francisco, será empossado bispo auxiliar de São Paulo. A missa de posse será dia 7 de fevereiro às 9 horas, na  Catedral da Sé e deverá contar com a presença de Agentes da Pastoral Afro, das Irmandades todas e dos membros das Congados, entre outros.
A expectativa é de que a sagração do  bispo negro de São Paulo  fará lembrar a luta contra o racismo de grandes padres negros de São Paulo, como padre Batista e padre Toninho – que do céu devem estar fazendo uma grande festa e dizendo ” a luta continua”.
O novo bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, Monsenhor Eduardo, é natural de Bom Sucesso, Arquidiocese de Maringá, e tem familiares em Sarandi, região metropolitana de Maringá.
Monsenhor Eduardo Vieira dos Santos soube de sua nomeação para bispo auxiliar, em 25 de novembro, por meio do núncio apostólico do Brasil, Dom Giovanni D´Aniello.
Confesso que para mim foi uma surpresa e uma grande alegria, porque como padre da Igreja, eu amo servir o povo de Deus e creio que, como bispo, não será diferente. As responsabilidades, as cobranças, certamente serão maiores, mas Deus me dará forças para ser fiel a esse compromisso”, afirmou à reportagem.
Sacerdote da Arquidiocese desde 2000, Monsenhor Eduardo foi por sete anos pároco da Paróquia São João Gualberto, na Região Lapa, antes de se tornar vice-reitor do Seminário de Teologia Bom Pastor, função que ocupou entre 2008 e 2013. Atual chanceler do Arcebispado de São Paulo, ele também é cura da Catedral da Sé, desde agosto de 2013. Como bispo, pretende usar toda essa experiência adquirida.
Na Arquidiocese de São Paulo e na Igreja em geral, a missão de um bispo é ser solícito, estar pronto para ouvir, para entender os sofrimentos dos padres, do povo de Deus, é ser segundo o coração de Jesus, ser pastor”.
Na mensagem que dirigiu à Arquidiocese, o Monsenhor agradeceu à confiança do Papa Francisco e de Dom Odilo e lembrou-se, com gratidão, dos pais já falecidos e dos familiares e manifestou que “o acolhimento, a alegria e o serviço, sobretudo aos que mais sofrem em nossas paróquias – crianças, jovens, idosos, negros e negras, pobres e humildes – devem aumentar em nós o amor por Jesus e por sua Palavra”. 
Monsenhor Eduardo comentou o fato de ser o primeiro negro nomeado bispo na Arquidiocese. “Ser o primeiro bispo negro da Arquidiocese de São Paulo é de grande responsabilidade, mas também motivo de grande alegria e orgulho para o povo negro. Tenho militado desde o ingresso na vida religiosa na Pastoral Afro e isso me traz certa compreensão do que é ser negro na Igreja e na sociedade, e eu espero que minha atuação episcopal contribua ainda mais para mudanças de como se vê o povo negro na cidade e na Igreja”.
FONTEhttps://ivairs.wordpress.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário