sábado, 4 de abril de 2015

Angolanos no Brasil se mobilizam para ajudar vítimas de enchentes na terra natal

Estar longe do país de origem não significa deixar de se importar com ele e com aqueles que nele vivem. E um grupo de estudantes angolanos no Brasil está se mobilizando para ajudar os atingidos pelas enchentes que castigaram o sul de Angola, em especial a cidade de Lobito.
Em São Paulo, o grupo pediu um espaço na Missão Paz no último sábado (29) para recolher roupas e alimentos em favor das pessoas que sobreviveram à destruição das chuvas. Segundo Yuran Tinta, um dos estudantes envolvidos na iniciativa, a arrecadação continua. “Muitas pessoas não apareceram por conta de distância, mas deu para começar. Agora estamos indo buscar daqueles que moram mais longe para que dê tudo certo”, explica.
Quem puder fazer doações ao grupo pode entrar em contato por telefone, por meio dos seguintes números(11) 98164-4903(11) 96076-5902(19) 98394-1534(11) 98430-0298 e (11) 97037-9100.
Estudantes angolanos arrecadam donativos para vítimas das chuvas em Angola. Crédito: Missão Paz
Estudantes angolanos arrecadaram donativos para vítimas das chuvas em Angola.
Crédito: Missão Paz
Dessa forma, eles engrossam a campanha ‪#‎SOSLobito‬, que conta com vídeos na internet (disponíveis no YouTube) para sensibilizar pessoas do mundo todo a colaborarem com os esforços de assistência às populações afetadas pelas cheias. 
Lobito fica na província de Benguela, ao sul de Luanda. Toda a região foi atingida por fortes chuvas em meados de março, que provocaram aumento do nível do rio Cavaco. Até o momento foram confirmadas pela Angop (Agência Angola Press) 85 mortes na região  – número que ainda pode aumentar nos próximos dias.
Cidade de Lobito e a província de Benguela foram duramente afetadas pelas chuvas. Crédito: Reprodução/Instagram
Cidade de Lobito e a província de Benguela foram duramente afetadas pelas chuvas.
Crédito: Reprodução/Instagram
FONTEhttp://migramundo.com/2015/04/03/angolanos-no-brasil-se-mobilizam-para-ajudar-vitimas-de-enchentes-na-terra-natal/

Nenhum comentário:

Postar um comentário