sexta-feira, 24 de julho de 2015

Corpo de estudante cabo-verdiano morto por atropelamento terá traslado após campanha de doações

Sem apoio governamental, família e amigos conseguiram arrecadar R$ 20 mil com ajuda de conterrâneos e fortalezenses

O atropelamento foi encaminhado para Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) podendo se tratar de um homicídio doloso. (Foto: Facebook)
O atropelamento foi encaminhado para Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) podendo se tratar de um homicídio doloso. (Foto: Facebook)

Um estudante cabo-verdiano, Paulo Romão, de 24 anos, morreu após sofrer um atropelamento na última quarta-feira (15), na Avenida Santos Dumont, em Fortaleza. O estudante pilotava sua moto na avenida quando foi atropelado por um motorista que conduzia um carro em alta velocidade.
O motorista atropelador, ainda não identificado, fugiu sem prestar socorro. O estudante foi levado ao Instituto José Frota (IJF), perdendo vários litros de sangue. Colegas cabo-verdianos que residem na capital ainda fizeram uma campanha de doação de sangue para o conterrâneo. Contudo, no mesmo dia, o estudante não resistiu aos ferimentos, e de acordo com o relatório do médico legista foi declarada morte encefálica ao jovem.
A mãe de Paulo Romão veio à cidade, na sexta-feira (17), para o reconhecimento do corpo. Família e amigos pediram apoio das autoridades cabo-verdianas e brasileiras, além de fazer uma campanha de arrecadação de fundos para realizar o traslado do corpo do estudante para seu país, com o valor de R$ 20 mil.
Sem contribuição governamental, o valor foi obtido com o suporte de igrejas, africanos, moradores do condomínio do estudante e cidadãos de vários países. O corpo será levado para Porto Novo na sexta-feira (24).
O jovem estava no Brasil há três anos, cursando Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Universidade Estácio, e trabalhava como garçom. Carmem Delgado, amiga da vítima, afirma que as pessoas que se mobilizaram para fazer a doação de sangue enquanto o Paulo ainda estava internado ainda irão fazê-la após o traslado do corpo.
Os amigos fizeram um boletim de ocorrência (BO) no 34ª Distrito Policial, sendo encaminhados à Delegacia de Acidentes e Delitos de Trânsito (DADT). Em contato com o Delegado César Wagner, responsável pela delegacia, ele afirma que segundo as informações repassadas, o ocorrido pode ser qualificado como homicídio doloso, e não apenas um acidente de trânsito, encaminhando o caso à Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).
Até a publicação desta matéria, o Tribuna do Ceará não conseguiu contato com a delegada Socorro Portela, encaminhada para ser a responsável pelo caso.
FONTE: http://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/segurancapublica/corpo-de-estudante-cabo-verdiano-morto-por-atropelamento-tera-traslado-apos-campanha-de-doacoes/

Nenhum comentário:

Postar um comentário