domingo, 17 de janeiro de 2016

Terreiro no Curuzu é tombado como Patrimônio Cultural de Salvador

Vodun Zo Kwe

O terreiro Hunkpame Savalu Vodun Zo Kwe, no Curuzu, foi o primeiro a ser tombado com base na Lei de Preservação do Patrimônio Cultural do Município de Salvador. O reconhecimento como patrimônio cultural foi feito em uma cerimônia na tarde desta sexta-feira (15).


O sacerdote do templo, o doté Amilton Costa afirmou que o tombamento protege a integridade do espaço. O prefeito ACM Neto também participou da solenidade.
Para ele, a cultura e as religiões de matriz africana influenciam e foram fundamentais na formação de cada ser de Salvador. Já para o presidente da Fundação Gregório de Matos, Fernando Guerreiro, o terreiro, no Curuzu, é “o último pulmão da Liberdade”, em referencia a área verde do espaço.

O terreiro também é chamado de Vodun Zô. Ele é um dos poucos da nação Jeje Savalu no Brasil e único da Bahia. Sua tradição mantém originais os ritos da linhagem, como o dialeto africano ewe-fon, preservado nas expressões, cânticos, rezas e no cotidiano dos ritos. Segundo o doté Amilton, a etnia é mais rigorosa.

Sua iniciação e trabalhos são mais prolongados. “Por isso, as pessoas não procuram tanto”, afirma. O jeje se diferencia das outras linhas do candomblé. Uma das diferenças é que as entidades são chamadas de vodun e não de orixás, e cultua a força da natureza, como o espírito da caça e da justiça.

O pedido de preservação do terreiro partiu da Associação Brasileira de Preservação da Cultura Afro-Ameríndia (AFA). Entre os critérios usados para o tombamento estão questões como especulação imobiliária, dificuldade de manutenção das instalações e invasão de terreno. A área verde do terreiro, de aproximadamente 2.408 metros quadrados, é a única remanescente do Curuzu.

Com o tombamento, o templo não precisará pagar impostos, por ser reconhecido como entidade religiosa. Na próxima quinta-feira (21), a prefeitura deve oficializar o tombamento de 300 terreiros, que passarão a ter imunidade tributária e perdão de dívidas do passado.

FONTE: http://www.geledes.org.br/terreiro-no-curuzu-e-tombado-como-patrimonio-cultural-de-salvador/#ixzz3xQnkxsnR

Nenhum comentário:

Postar um comentário