domingo, 17 de janeiro de 2016

Terroristas matam 20 em um dos principais hotéis de Burkina Faso

Forças de segurança entraram em conflito com atacantes; al-Qaeda reivindica



O terrorismo voltou a atingir a África, com uma invasão a um dos Hotéis mais importantes de Burkina Faso: jihadistas deixaram ao menos 20 mortos num ataque reivindicado pela al-Qaeda no Magreb Islâmico. A exemplo do al-Shabaab, grupo ligado à al-Qaeda que tem atacado hotéis de luxo na Somália, o próprio grupo terrorista afirmou ter conduzido uma ofensiva no país, já flagelado pela violência política.
A invasão ao Hotel Splendid, situado na principal avenida do centro da capital, Uagadugu, começou durante a tarde. Homens armados invadiram o local após explodirem carros na entrada, e também dispararam contra um café-restaurante. Após a tomada do local, mais tiros foram ouvidos, mas as forças de segurança se mantiveram do lado de fora, em meio a corpos ensaguentados. Policiais que tentaram invadir o local foram baleados e morreram.
— Sobre os mortos, ainda não temos números precisos, mas testemunhas dizem que há vinte mortos — disse Robert Sangaré, diretor do hospital universitário Yalgado Ouedraogo, que concentrou o tratamento às vítimas. — Recebemos quinze feridos a bala e outros machucados devido ao pânico.

Horas depois da invasão, forças de segurança locais, francesas e até americanas se concentraram, junto a tanques enviados pelo Exército. O chanceler do país, Alpha Barry disse que a invasão dependeria de se negociações fracassassem
— Sabemos que há vítimas e reféns. Atualmente, as forças da ordem bloqueiam a zona à espera do assalto para libertar os reféns — avaliou.
O Splendid é utilizado com frequência por empresários ocidentais e por equipes e funcionários da ONU. O hotel é usado também como hospedagem para tropas francesas que operam no Chade e combatem jihadistas na região do Sahel.

A embaixada francesa relatou que, por conta do ataque, medidas de segurança foram reforçadas. Um voo da Air France que ia para a capital a partir de Paris foi desviado.


Burkina Faso enfrenta frequentes episódios de turbulência política desde outubro de 2014, quando o presidente Blaise Compaoré foi deposto por protestos populares. Em 2015, foram registrados vários conflitos armados e protestos em Uagadugu pelo controle do governo do país. Nos últimos dois anos, o país já teve cinco presidentes.
O país africano, no entanto, vinha sendo poupado da violência de militantes islâmicos, que realizaram ataques no Mali. No último mês de novembro, dois rebeldes mataram 20 pessoas — incluindo russos, chineses e americanos — em um hotel de luxo em Bamako, capital do Mali.

FONTE: http://oglobo.globo.com/mundo/terroristas-matam-20-em-um-dos-principais-hoteis-de-burkina-faso-18485249?


Nenhum comentário:

Postar um comentário