sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Estudante estrangeira da UFG é premiada em concurso da SBPC

Pesquisa da guineense Saturnina da Costa ficou em 3º lugar na terceira edição do prêmio de Popularização da Ciência
Texto: Camila Godoy
Pela primeira vez, uma aluna do Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G) da UFG, destinado a estudantes estrangeiros da África e América Latina, recebeu o prêmio de Popularização da Ciência da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - Regional Goiás (SBPC/GO). Na ocasião, o estudo da graduanda do curso de Ecologia e Análise Ambiental, Saturnina da Costa, oriunda da Guiné-Bissau, sobre a importância da polinização para a reprodução do tomate cereja ficou em terceiro lugar na categoria Ciências Biológicas. A cerimônia de premiação do III Prêmio SBPC/GO de Popularização da Ciência ocorreu na manhã desta quarta-feira (30/11), no auditório do Instituto de Ciências Biológicas da UFG.
Uma solenidade que, para a estudante, além do reconhecimento acadêmico, representa a coroação de seu esforço. “Eu queria muito fazer um curso da área ambiental e consegui vir para a UFG por conta de uma parceria entre o Brasil e meu país. No entanto, essa cooperação só me dava direito à vaga. Assim, me esforcei para conseguir bolsas e trabalhar para me manter. Nesse trajeto fiz um amigo que havia sido premiado pela SBPC e acompanhei o processo. Desde então, passou a ser um sonho receber esse prêmio. Foi o melhor presente de aniversário que eu poderia dar ao meu pai”, comemorou a estudante.
Inédita, a pesquisa de Saturnina da Costa avaliou alguns impacto nos frutos de plantas que foram polinizadas por abelhas. Ela explicou que o tomate cereja tem uma flor menor do que as de outras espécies, com um formato que dificulta a contato de algumas espécies de abelhas,. “Elas precisam vibrar sobre as flores para retirar o grão de polén, assim as abelhas que não apresentam o comportamento vibratel não conseguem. A pesquisa comprovou que as abelhas menores são mais eficientes nesse processo. Também verifiquei que flores que tiveram contato com polinizador apresentaram maior número de sementes em relação aos que não tiveram”, destacou.
Agora, uma das propostas da estudante é alertar a população de Goianápolis, local onde realizou a pesquisa, sobre a importância da conservação das abelhas, principalmente das espécies que vibram. Ela também quer conscientizar os produtores sobre os perigos do uso exagerado de agrotóxicos que podem, inclusive, afastar esses insetos. Saturnina da Costa pretende continuar os estudos e pesquisar o solo e as bacias hidrográficas da região.

prêmio sbpc 
Saturnina Costa, com o certificado, e os orientadores, Edivani Francischinelli e Carlos de Melo Neto, comemoram o prêmio

Fonte : Ascom UFG

Nenhum comentário:

Postar um comentário